Make your own free website on Tripod.com
Fga. Keila A. Baraldi Knobel
Zumbido

Novas Perspectivas de Tratamento







Sabemos que o zumbido é um problema que afeta cerca de 17% da população mundial e causa sofrimento significativo em 4% das pessoas em geral (aproximadamente 6 milhões no Brasil) e, que apesar de haver diversas teorias sobre sua causa, nenhuma teve comprovação científica devido à falta de métodos objetivos e não invasivos para detectar o zumbido e para localizar a atividade neuronal a este relacionada. Observa-se ainda que diversas patologias das vias auditivas externas e internas estão associadas ao sintoma, sem, contudo, mostrar sistematicamente relação entre grau de severidade da doença com a intensidade, a frequencia ou grau de incômodo do zumbido. Como consequência existem tratamentos pouco efetivos para oferecer aos nossos pacientes. Geralmente é dito que eles devem "aprender a conviver com o problema".

Entretanto, foi proposto recentemente um modelo neurofisiológico do zumbido, desenvolvido pelo Dr. Pawel Jastreboff nos EUA e pelo Dr. Jonathan Hazell na Inglaterra, que serviu de base para a criação de um tratamento inovador que tem tido resultados de melhora significativa em mais de 80% dos pacientes do Centro de Tinitus e Hiperacusia da Universidade de Maryland em Baltimore.  Tal tratamento vem sendo difundido em diferentes países com índices semelhantes. O método é chamado TRT (Tinnitus Retraning Therapy) e tem como objetivo principal habituar as reações físicas induzidas pelo zumbido.

Para isso, os idealizadores desta técnica propõe que o paciente aprenda a tratar o zumbido da mesma forma como trata o som da geladeira da cozinha, por exemplo, o qual geralmente não se percebe, e quando é ouvido não causa incômodo. A TRT ajuda o paciente a modificar os reflexos envolvidos nas conexões do sistema auditivo com os sistemas límbico e nervoso autônomo, treinando a parte subconsciente das vias auditivas internas a bloquear a chegada do sinal do zumbido até o córtex.

O método consiste de duas partes de igual importância e que seguem protocolos específicos para cada caso: sessões intensivas de orientação dirigida e, muito frequentemente, o uso de Geradores de Som (pequenos aparelhos individuais que emitem um ruído constante de banda larga em intensidade controlada). É importante saber que este som não deve mascarar o zumbido, pois é impossível que alguém se habitue com um som se não consiguir escutá-lo.

A continuidade do tratamento é fundamental para o seu sucesso. O paciente deve atender a sessões de orientação duas vezes no primeiro semestre de atendimento e depois a cada seis meses. Novos testes específicos são feitos durante este período para avaliar o progresso do tratamento e para esclarecer novas dúvidas que podem surgir. O acompanhamento se extende pelo tempo necessário, que geralmente é de 12 a 24 meses. É importante observar que o TRT poderá ser associado a outros tratamentos quando necessário, e que os resultados terapêuticos podem variar para cada indivíduo.

Para saber mais:
Princípios Neurofisiológicos da TRT
Terapia Sonora 
Sessões de Aconselhamento 
Revisão dos Tratamentos de Zumbido - os métodos mais usados e seus resultados
Perguntas Mais Frequentes (FAQ) - sobre zumbido e TRT
Hipersensibilidade a Sons

Grupo de Discussão - para profissionais e pessoas interessadas em compreender os mecanismos do zumbido 

Cartoon sobre TRT

Sites de interesse:
Tinnitus and Hyperacusis Centre
The Tinnitus and Hyperacusis Site
The International Tinnitus Journal On-Line
Informações à família sobre zumbido
Convivendo com o stresse do zumbido
O barulho e seus efeitos sobre a audição e o zumbido
Opções de aparelhos auxiliares para Terapia Sonora
Bibliografia sobre TRT (em inglês)
Controvérsias sobre a Fisiologia do Zumbido
Artigo sobre TRT na revista Isto É de 05/08/98
Artigo sobre zumbido - Jornal Correio Popular, Campinas, S.P.
 
 

| Audição | Voz | Terapia FloralClínica Integrada Proença |
| Autora | Fonoaudiologia Geral | Página inicial |